Posts

Dr. Gabriel Ferraz – Mestre em Ciências da Saúde

Pós-graduação

Janeiro/2019

Dr. Gabriel Ferraz, médico ortopedista e traumatologista do Centro Médico Alto de Pinheiros, recebeu o título de mestre em ciências da saúde após defesa e publicação da sua tese.

Dr. Gabriel publicou a sua tese de Mestrado na revista médica PLoS One (Public Library of Science) na área de pé e tornozelo.

 

Fascite Plantar ou “Esporão de Calcâneo”

Patologia

A fascite plantar nada mais é do que a inflamação de um componente do pé que liga o osso do calcâneo aos dedos, conhecido como Fáscia Plantar. Popularmente é chamada de “Esporão de Calcâneo”, a dor é basicamente na região plantar do pé (sola do pé) próximo ao calcanhar. Os fatores de risco para desenvolver a fascite plantar são: sobrepeso, encurtamento da panturrilha, sedentarismo e uso de calçados inadequados.

 

Tratamento Inicial

Os primeiros passos no tratamento para a fascite plantar são desde troca de calçados, uso de medicações analgésicas locais, fisioterapia e alongamento de cadeia posterior. Em alguns casos recomendamos uso de palmilhas especializadas sob molde para o pé do paciente.

Tratamento Cirúrgico

Na maioria dos casos não são necessárias cirurgias para solucionar a fascite plantar, porém nos casos refratários ao tratamento conservador nós lançamos mão de infiltrações e bloqueios para controle da dor local e assim permitindo melhor reabilitação.

Publicado por: Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 04 de Dezembro de 2018

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestre em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

The Ponseti method in children with clubfoot after walking age – Systematic review and metanalysis of observational studies

Publicação Científica

Estudo do Dr. Gabriel Ferraz Ferreira em uma das maiores revista de publicação científica do mundo a PloS One. A pesquisa demonstrou o uso da técnica gessada de Ponseti nos casos de Pé Torto Congênito mesmo em crianças mais velhas, com excelente resultado, muitas vezes evitando procedimentos cirúrgicos mais invasivos e diminuindo o número de complicações.

 

Segue o link para a leitura completa do artigo científico. Clique Aqui.

Publicado por Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 22 de Novembro de 2017

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé

Use of peripheral nerve block in ankle surgery as postoperative analgesia

Publicação Científica

Estudo científico publicado na revista de Cirurgia do Pé e Tornozelo da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé. O artigo científico avaliou o método de bloqueio anestésico local como método de analgesia pós-operatória após cirurgias na região do tornozelo e pé.

Publicado por Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 21 de Agosto de 2018

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé

Ruptura Aguda do Tendão de Aquiles

Patologia

O tendão calcâneo ou o tendão de Aquiles como costuma ser chamado, pode ser uma fonte de dor ao longo da vida. A ruptura aguda em geral ocorre durante a prática esportiva, com o famoso “sinal da pedrada”, na qual o paciente durante o trauma sente uma fisgada na região posterior do tornozelo, como se tivesse sido atingido por trás.

A ruptura aguda do tendão, na maior parte das vezes, acontece nos tendões degenerados e não nos tendões sadios. Ou seja, o paciente já apresentava dor na região com processo inflamatório local e muitas vezes com o tendão doente.

Tratamento Inicial

O primeiro atendimento deve ser feito através de um médico ortopedista do pronto socorro. A ultrassonografia pode ajudar no diagnóstico quando há duvidas. Deve-se excluir através de radiografias que não ocorreu nenhuma avulsão óssea e que não houve outras lesões associadas ao trauma.

Tratamento Cirúrgico

Existem diversos métodos de reconstrução cirúrgica do tendão de Aquiles. A técnica mais tradicional é a sutura aberta do tendão, isto é, realiza-se um incisão lateral ao tendão, retirando as partes degeneradas, e por fim, suturando “boca a boca” os cotos rompidos. Porém esse tipo de cirurgia pode causar algumas complicações como lesões de pele, cicatrização entre outras.

Atualmente a cirurgia percutânea do tendão de Aquiles é indicada para reparo pois a cicatriz cirúrgica é menor, assim como o risco de problemas de cicatrização também fica reduzido.

Cuidados pós-operatórios

A cirurgia é feita a partir da raquianestesia e no pós-operatório costuma-se imobilizar nas primeiras duas semanas com uma tala para proteção da sutura. Na sequencia, troca-se pela bota tipo “robofoot” e libera-se a marcha. Após seis semanas pode-se iniciar movimentos mais robustos e intensificar a fisioterapia.

Publicado por: Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 11 de Julho de 2018

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestrando em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

Entorse Crônico do Tornozelo – Reconstrução Ligamentar

Patologia

O trauma torcional do tornozelo é muito comum no dia a dia, e pode ser desde leve até o tipo mais grave. Após o trauma, deve-se procurar algum serviço de urgência para excluir que não tenha ocorrido alguma tipo de fratura. Em alguns casos, mesmo sem fratura, ocorre a lesão nos ligamentos do

Tratamento Inicial

O tratamento conservador do entorse crônico do tornozelo deve ser cuidadoso. No início a fisioterapia analgésica, associado ao método PRICE, deve ser aplicado para a diminuição do edema e a dor local. Após isso, começa a fisioterapia proprioceptiva para fortalecimento da musculatura do pé e tornozelo. Caso após todos esse tratamento específico não ocorra uma melhora da dor e sensação de estabilidade, pode ser optado pelo tratamento cirúrgico.

Tratamento Cirúrgico

Existem diversos métodos de reconstrução cirúrgica ligamentar do tornozelo. A técnica mais comum empregada foi descrita por Broström, porém modificada por Gould no seu relato inicial, sendo chamada atualmente de Broström-Gould.

Realiza-se uma incisão na região lateral do tornozelo, inserindo na fíbula uma âncora geralmente absorvível, que dela sai fios para a sutura dos ligamentos laterais do tornozelo.

Cuidados pós-operatórios

O paciente sai da cirurgia com uma tala de imobilização. Após 7 a 10 dias, avalia-se a possibilidade da retirada das suturas cirúrgicas. A marcha tem seu início na terceira semana, e na sexta migra-se para o uso do robofoot (bota removível), por mais duas semanas, para proteger as suturas ligamentares. A reabilitação para o esporte é incentivada com o uso de tornozeleira específica e fisioterapia gradual.

Publicado por: Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 30 de Abril de 2018

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestrando em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – “Madrid Foot and Ankle Course”

Curso de atualização

Abril/2018

Dr. Gabriel Ferraz, médico ortopedista e traumatologista do Centro Médico Alto de Pinheiros, esteve na Espanha nesse mês de abril para participar do “Madrid Foot & Ankle Course”, com atualizações em artroscopia para cirurgia do pé e tornozelo.

Curso com Prof. Niek van Dijk e Prof. Mariano de Prado.

 

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – XVIII Congresso Brasileiro de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé

Congresso

Maio/2017

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira, médico ortopedista e traumatologista do Centro Médico Alto de Pinheiros participou do Congresso Brasileiro de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé, realizado em Maio de 2017 na cidade gaúcha de Gramado-RS.

Dr. Gabriel participou do congresso como autor e apresentador do tema livre “BLOQUEIO ANESTÉSICO PERIFÉRICO DOS NERVOS NAS CIRURGIAS DO PÉ – EXPERIÊNCIA DO GRUPO DO PÉ E TORNOZELO DO HSPE”.

O congresso foi realizado em Gramado- RS, organizado pela Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé (ABTPé)

Fratura do Tornozelo

Patologia

A fratura do tornozelo na sua maioria das vezes ocorre por entorses durante a prática esportiva ou entorse em terreno irregulares como as calçadas, por exemplo. É uma das fraturas mais comuns na Traumatologia, atingindo desde jovens até idosos.

Tratamento Conservador

O tratamento conservador da fratura do tornozelo pode ser realizado em apenas alguns tipos de fraturas específicas, quando não desvio nos fragmentos ósseos, e o traço da fratura deve ser considerado como estável. A conduta nesses casos é a imobilização com gesso suropldálico ou, às vezes, bota tipo Robofoot, a depender do caso.

Tratamento Cirúrgico

A fratura do tornozelo em alguns casos deve ser tratada de modo cirúrgico. O ideal é ser realizado o procedimento na primeira semana do trauma, desde que o pé não se encontre muito inchado, sendo necessário retardar essa cirurgia. Para um melhor resultado, deve ser utilizado uma técnica cirúrgica delicada e feita por um profissional especialista e bem capacitado, pois qualquer falha na fixação ou mal alinhamento final pode resultar em desgaste precoce da articulação.

Em relação a síntese escolhida, ela pode varias desde placas e parafusos, bem como a banda de tensão com fios de aço para estabilização da fratura. O pós operatório tem que ser realizado por um fisioterapeuta capacitado e com cuidado na ferida operatória.

Publicado por: Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 05 de Outubro de 2017

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé

Joanete ou Hálux Valgo

Patologia

O Hállux Valgus ou a popular Joanete, é um deformidade presente e mais comum nas mulheres. Em geral existe um componente hereditário e também associado ao uso de sapatos de “bico fino”ou estreitos.

Além do aspecto estético, a joanete nos seus graus moderado e grave podem provocar quadros de dor na Além do aspecto estético, a joanete nos seus graus moderado e grave podem provocar quadros de dor na

Tratamento Conservador

O tratamento conservador consiste em mudança no tipo de calçado, evitando o uso de sapato fechados, bico fino, e muito flexíveis. A fisioterapia pode ser optado para diminuir o processo inflamatório e controle da dor. Outra opção é o uso de palmilhas sob molde e específicas, principalmente nos casos em que exista calosidade dolorosa plantar. Os exercícios podem ser feitos também, mas eles não corrigem a deformidade, apenas mantém a musculatura fortalecida, evitando a dor.

Tratamento Cirúrgico

O tratamento cirúrgico é o único método que pode corrigir a deformidade. Somente um médico ortopedista especialista em cirurgia do pé e tornozelo poderá avaliar o tipo de cirurgia para cade paciente, dependendo da idade, grau da deformidade clínica e angular nas radiografias.

Agende sua consulta com nossa equipe de ortopedia para uma avaliação completa e precisa.

Publicado por Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 14 de Dezembro de 2017

 

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé