Posts

Linfoma

A proliferação maligna dos linfócitos, células do sistema linfático, leva a formação dos LINFOMAS.

Atualmente os linfomas fazem parte de um grupo de doenças extremamente heterogêneo, com diversas peculiaridades.

Em relação aos sintomas, há aumento dos linfonodos, os”gânglios”, que estão presentes em todo corpo, sendo mais evidente no pescoço, axilas e região inguinal.

Além do linfonodos aumentados, frequentemente há febre, sudorese noturna e perda de peso associado.

Para o diagnóstico são necessários exames de sangue, exames de imagem como tomografias e biópsia, a qual definirá o subtipo do linfoma.

Assim como existem diversos subtipos, o tratamento para os linfomas também é muito amplo, levando em consideração a biópsia, o grau de comprometimento da doença (estadiamento clínico) e as condições clínicas do paciente ( idade, doenças associadas e função dos demais órgãos). Por outro lado, não há indicação de tratamento para uma parcela de pacientes, os quais permanecerão apenas em seguimento.

É importante salientar que o diagnóstico assertivo é imprescindível para conduta adequada.

Publicado por Dra. Natalia Zing – 03 de Fevereiro de 2019

Dra. Natalia Zing – CRM/SP 151.758
Médica Hematologista Mestre em Ciências da Saúde
Membro da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular

Dra. Natalia Zing – Pós-graduação em Cuidados Paliativos (Pallium)

Pós-graduação

Julho/2018

Dra. Natalia Zing, médica hematologista do Centro Médico Alto de Pinheiros, concluiu o curso de pós-graduação em Cuidados Paliativos, sendo diplomada após aprovação em prova escrita na cidade de Buenos Aires. A duração do curso foi de um ano, sendo composto de treinamento nos aspectos clínicos, de investigação e organização da medicina em cuidados paliativos e formação ética para os cuidados no final da vida.

Anemia

Falando sobre ANEMIA.

O que é anemia? Anemia ocorre quando seus glóbulos vermelhos estão abaixo do valor de referência.

A anemia não é uma doença e sim uma consequência, a qual pode ocorrer devido à diversas situações, como falta de vitaminas, sangramento, problemas na medula óssea, uso de medicamentos ou até se algo genético. É fato que a deficiência de ferro é uma das principais causas de anemia, porém não é a única, e por tanto não devemos iniciar a reposição de ferro sem antes avaliarmos se esta é a causa atual da anemia.

Sendo assim,  frente a um quadro de ANEMIA, devemos obrigatoriamente investigar a causa e  tratar de forma adequada.

Publicado por: Dra. Natalia Zing – 30 de Abril de 2018

Dr. Natália Zing – CRM/SP 151.758
Médica Clínica e Hematologista
Membro da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH)
Mestranda em Ciências da Saúde na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo