Dedo em gatilho

O que é?

A tenossinovite estenosante dos flexores, conhecida como dedo em gatilho é o travamento do dedo em uma posição flexionada devido à inflamação do tendão do dedo.

A causa do dedo em gatilho é associada às pessoas com artrite reumatoide ou diabetes.

É mais comum nas mulheres do que nos homens e, particularmente, na gravidez, puerpério e menopausa.

Os sintomas iniciais são de desconforto na base dos dedos, na palma da mão e/ou no polegar. Essa área é dolorosa a palpação e pode ser sentido um nódulo ou abaulamento.

Para saber qual melhor tratamento marque uma consulta com um especialista, aqui Centro Médico Alto de Pinheiros temos o Dr. Bruno do Carmo.

Ortopedista com experiência em atendimentos clínicos e cirúrgicos com foco em afecções da Mão e Punho.

ATENDE ONLINEPRESENCIAL

O Ligamento Cruzado Posterior

O que é?

O ligamento cruzado posterior (LCP) é o principal ligamento do joelho e mede aproximadamente 35 milímetros de comprimento. Ele é o maior responsável por impedir que a tíbia se desloque posteriormente em relação ao fêmur. Suas lesões são bem menos frequentes do que as lesões do ligamento cruzado anterior.

Geralmente, as roturas do LCP acontecem após uma força aplicada na região anterior do tíbia com o joelho dobrado, como, por exemplo, nos acidentes de automóveis, quando o motorista sofre um trauma no joelho contra o painel do carro. Mas elas também podem acontecer de outras formas, como a queda com o joelho muito flexionado.

As lesões geralmente ocorrem sem um estalido nítido ou sensação de falseio do joelho e são classificadas em três graus, de acordo com deslocamento posterior da tíbia em relação ao fêmur. Assim, para o diagnóstico, o médico deve realizar um exame físico adequado e, geralmente, solicitar exames de imagem, como radiografias e ressonância magnética, como métodos auxiliares.

As lesões menos graves do LCP são tratadas tipicamente de forma não operatória, com imobilização do joelho na fase inicial, seguida de reabilitação com fisioterapia. A cirurgia para tratamento das roturas do ligamento é realizada quando existem outras lesões ligamentares do joelho associadas, quando a lesão do LCP é mais grave, provocando maior instabilidade no joelho, quando existe uma fratura da região de inserção do ligamento no osso ou em outras situações específicas.

A reabilitação após a cirurgia de reconstrução do LCP é geralmente mais difícil do que a do ligamento cruzado anterior. Logo após a cirurgia, o joelho é imobilizado em extensão. Mobilização passiva, treino isométrico do quadríceps e elevação da perna esticada podem ser iniciados assim que for tolerado. O paciente é estimulado a apoiar o membro operado de forma parcial, com a imobilização e auxílio de duas muletas, desde o pós-operatório imediato. A imobilização é geralmente mantida por 6 semanas. O paciente retorna às suas atividades habituais depois de 9 a 12 meses da cirurgia.

(Fonte: “Insall & Scott Surgery of the Knee” – 5th Edition.)

Publicado por: Dr. Daniel Hidalg0 – 01 de julho de 2020


Médico Ortopedista especialista em Joelho
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho

Membro Titular da Sociedade Internacional de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Medicina Esportiva Ortopédica (International Society of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine – ISAKOS).

Hálux valgo

O que é?

O hálux valgo, ou o popular joanete, é a deformidade adquirida ao longo da vida do primeiro dedo do pé. A sua incidência é bem maior no sexo feminino, com quatro mulher para um homem, existindo um componente familiar associado. Em geral, o tratamento deve ser realizado com medidas conservadoras como troca de calçado, fisioterapia, palmilha e dedeira protetora. Nos casos em que o tratamento conservador não tem sucesso, opta-se pela correção cirúrgica. Existem mais de 130  procedimento para tratar o joanete, sendo a mais recente e moderna a técnica percutânea, conhecida como minimamente invasiva e realizada através de pequenas incisões cirúrgicas.

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestre em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

Metatarsalgia

O que é?

A metatarsalgia nada mais é do que uma dor localizada na planta do pé. A dor está localizada na região da frente da planta do pé, enquanto na fascite plantar costuma ser nas proximidades do calcanhar. Existem diversos tipos de tratamento conservadores como troca de calçados, alongamentos específicos e palmilhas sob molde. Em alguns casos é necessário procedimentos cirúrgicos corretivos. Caso você tenha algum sintoma parecido, agende uma consulta com nosso ortopedista especialista em Pé e Tornozelo, Dr. Gabriel Ferraz.
Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestre em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

O Ligamento Cruzado Anterior

O que é?

O ligamento cruzado anterior (LCA) é um importante estabilizador do joelho. Ele impede que a tíbia se desloque para a frente do fêmur durante os movimentos do joelho.

A ruptura do LCA é uma das principais e mais frequentes lesões do joelho. A participação da população em atividades esportivas e recreacionais expõe mais pessoas ao risco de ruptura do ligamento. O mecanismo de lesão mais comum é a torção associada a uma alavanca do joelho. A ruptura causa uma instabilidade importante no joelho, o que pode gerar incapacidade de praticar atividades esportivas e torções repetidas do joelho.

O tratamento não operatório pode ser considerado em situações específicas, como naquelas em que o paciente não deseja voltar à prática de esporte. Contudo, na maioria das vezes, o tratamento indicado é cirúrgico por artroscopia (cirurgia por vídeo), visando a reconstrução ligamentar. Existem diversas técnicas descritas para a reconstrução do LCA, com diversos possíveis substitutos do ligamento e vários dispositivos de fixação ligamentar disponíveis.

A reabilitação com fisioterapia tanto antes quanto após a cirurgia é muito importante para o reestabelecimento das funções adequadas do joelho.

É importante ressaltar que a instabilidade decorrida da lesão do ligamento cruzado anterior pode ocasionar um desgaste acentuado do joelho e artrose precoce da articulação.

Publicado por: Dr. Daniel Hidalg0 – 27 de maio de 2020


Médico Ortopedista especialista em Joelho
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho

Membro Titular da Sociedade Internacional de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Medicina Esportiva Ortopédica (International Society of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine – ISAKOS).

Cirurgia Percutânea

Cirurgia minimamente invasiva

Nos últimos anos tivemos uma grande evolução na cirurgia do pé, especialmente na correção do joanete. A cirurgia percutânea surge como uma ótima opção para esse tipo de deformidade. O procedimento é realizado através de pequena incisões na pele e realizada a osteotomia com uma fresa específica para cirurgia minimamente invasiva. Agende uma consulta com nosso ortopedista especialista em Pé e Tornozelo, Dr. Gabriel Ferraz para melhor esclarecimento e opções de correção da joanete.

Condromalácia Patelar

O que é Condromalácia Patelar?

A condromalácia patelar é um problema da cartilagem da patela, osso em formato circunferencial localizado na frente do joelho.

Devido a variações anatômicas, ela acomete proporcionalmente mais mulheres do que homens e é causada por uma sobrecarga da parte da frente do joelho.

Essa sobrecarga ocorre tanto por um desequilíbrio muscular, caracterizado, principalmente, por uma diminuição de força do músculo quadríceps femoral e dos músculos abdutores do quadril, quanto por atividades rotineiras, como agachar, subir e descer escadas, permanecer por longos períodos sentado(a) com o joelho dobrado.

A queixa mais frequente é a dor na parte da frente do joelho, que pode ser bastante limitante. Muitas vezes, o local da dor não é muito preciso e piora ao realizar as atividades mencionadas acima.

A condromalácia começa com um amolecimento da cartilagem da patela, mas, em casos mais graves, pode haver perda da cartilagem e exposição óssea na articulação.

O tratamento é diverso e envolve, inicialmente, uso de medicações para alívio da dor e fisioterapia. Existem outras modalidades de tratamento, como infiltração articular e cirurgias, que são reservadas a casos específicos.

Publicado por: Dr. Daniel Hidalg0 – 22 de abril de 2020


Médico Ortopedista especialista em Joelho
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT)

Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia do Joelho

Membro Titular da Sociedade Internacional de Artroscopia, Cirurgia do Joelho e Medicina Esportiva Ortopédica (International Society of Arthroscopy, Knee Surgery and Orthopaedic Sports Medicine – ISAKOS).

Anemia

Muito mais do que parece ser.

O que é Anemia?

Anemia é o termo utilizado quando a contagem de glóbulos vermelhos, está abaixo do normal.

Muitos atribuem anemia há desnutrição ou deficiência de vitaminas, mas é muito mais do que isso, existem várias causas de anemia, que variam desde distúrbios nutricionais a problemas da medula óssea.

Quais sintomas posso apresentar?

Em geral, pessoas com anemia apresentam fraqueza, indisposição, cansaço, falta de ar, palpitação e palidez. Outros sintomas podem ocorrer a depender da causa da anemia.

Quais os motivos?

Existem diversas causas de anemia.

A falta de ferro é a principal e mais prevalente no mundo todo, principalmente entre as crianças, que estão em desenvolvimento, e entre as mulheres em idade fértil, devido a menstruação e gestação. Outras vitaminas também podem levar a baixa produção de glóbulos vermelhos como é o caso da falta de vitamina B12 e ácido fólico.

Além da questão nutricional a anemia pode ser um sinal de outras doenças que interferem diretamente na produção dos glóbulos vermelhos ou em sua destruição. É importante ressaltar que as causas de anemia estão relacionadas a diversos fatores como idade, sexo e presença de outras doenças associadas.

O que fazer?

Frente a um quadro anêmico o mais importante é investigar a causa para assim tratar de forma adequada. Apesar da deficiência de ferro ser a causa mais frequente, não se deve iniciar sua reposição antes que se faça o diagnóstico correto. Sendo assim, é fundamental que faça uma avaliação clínica e laboratorial adequada antes de iniciar qualquer tratamento.

Lembrando que a anemia nunca é normal.

Publicado por: Dra. Natalia Zing – 08 de abril de 2020


Dr. Natália Zing – CRM/SP 151.758
Médica Clínica e Hematologista
Membro da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH)
Mestre em Ciências da Saúde na Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo

Neuroma de Morton

Patologia

O neuroma de Morton nada mais é do que uma inflamação nos nervos sensitivos da região do antepé, mais especificamente no terceiro espaço intermetatarsal (entre o terceiro e quarto metatarso).

Tratamento Inicial

Em primeiro lugar deve-se fazer o diagnóstico correto. O exame clínico é fundamental, existindo manobras específicas. Muitas vezes exames de imagem como a ressonância magnética podem ajudar em determinar a posição e o tamanho do neuroma.

O tratamento inicial é conservador, ou seja, não cirúrgico. Devemos mudar o tipo de calçado, preferencialmente com solado firme, salto baixo e plataforma. Alongamentos de panturrilha e coxa sempre ajudar, assim como fisioterapia e acupuntura. Palmilhas também podem ser úteis e evitar o procedimento cirúrgico.

Tratamento Cirúrgico

A indicação do tratamento cirúrgico só poderá ser realizada pelo médico ortopedista. Existem diversos tratamento cirúrgico, desde a infiltração, até ressecção do neuroma e liberação do ligamento intermetatarsal (ligamento que muitas vezes comprime o neuroma).

No entanto, o tratamento deve ser especificado e selecionado caso a caso, sempre ciente dos riscos e benefícios que estão disponíveis.

Publicado por: Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – 23 de Outubro de 2019

Dr. Gabriel Ferraz Ferreira – CRM/SP 151.687
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Membro da Associação Brasileira de Medicina e Cirurgia do Tornozelo e Pé
Mestre em Ciências da Saúde pelo IAMSPE

Síndrome do Túnel do Carpo

Patologia

Trata-se na neuropatia resultante da compressão do nervo mediano dentro do túnel do carpo, estrutura rígida que se situa no punho e se extende pela mão, por onde passam o nervo mediano e os tendões flexores dos dedos.

Situações que possam causar aumento de pressão dentro do túnel do carpo (traumas, inflamações, doenças reumatológicas, lesões por esforço repetitivo, etc) resultam nos sintomas relacionados à compressão do nervo mediano.

Sintomas

O paciente apresenta-se, mormente, com parestesia (dormência) na mão, especialmente nos dedos polegar, indicador, médio e metade do anelar, que costuma ser pior à noite, levando o paciente a perder qualidade do sono.

Diagnósticos

Para o diagnóstico, o exame físico é fundamental. Testes específicos durante o exame, como Phalen, Tinel e Durkan são suficientes. É importante afastar diagnósticos diferenciais, que podem confundir com Síndrome do Túnel do Carpo, como Síndrome do Desfiladeiro Torácico, Diabetes, entre outros. Procure sempre um especialista em Cirurgia da Mão.

Tratamento

Nem sempre é cirúrgico. Casos mais leves podem ser tratados de forma conservadora, com imobilização no período noturno associado ao uso de medicações específicas. Já os casos mais graves, ou aqueles que não apresentem boa resposta ao tratamento conservador, pode ser submetidos ao tratamento cirúrgico.

Publicado por: Dr. Bruno Carmo – 10 de Junho de 2019

Dr. Bruno Leme do Carmos – CRM/SP 152.052 – RQE/SP 78248
Médico Ortopedista e Traumatologista
Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Cirurgia da Mão e Microcirurgia – RQE/SP 78247